domingo, 16 de agosto de 2015

Pode terminar em chamas ou no paraíso.


      É incrível a diversidade de pessoas que existem no mundo. E não falo somente das diferenças físicas, e sim de personalidades. Filmes, músicas, programas de TV e livros prediletos, tudo isso é moldado de acordo com quem somos.
       E isso, também é crucial para o modo de como nos relacionamos com as pessoas. Quando surge afinidade com alguém, é algo incrível, porque a partir daí pode surgir um laço. O problema é que muitas vezes as pessoas não querem nos aceitar exatamente como somos, ou seja, elas gostam de uma parte, e querem lidar somente com aquele pedaço. 
       Eu já tive várias relações que não deram certo, amizades e romances, e isso algumas vezes me afetou negativamente. Porque começaram a surgir uns pensamentos aleatórios e eu comecei a achar que o problema era eu. E isso me fez avaliar minhas atitudes e ações, e questionamentos começaram a surgir. Reflexões sobre a vida e como à levamos, são saudáveis. Pensar em atuar pra ser aceita  por outra pessoa, não é.
     O que me deixa intrigado é que hoje em dia as pessoas valorizam o orgulho, o egoísmo, a individualidade. Porque não é bonito corremos atrás de quem gostamos/amamos, é loucura tentar melhorar por alguém, é covardia dar o braço a torcer em uma discussão, é ser trouxa nos importarmos com o bem estar do outro. Essas ideias me deixam assustadas, porque eu cresci ouvindo as aventuras da história de amor dos meus pais, que estão juntos a mais de 30 anos. Eu ouvi histórias sobre aceitação, amizade e cumplicidade. 
      Sabe qual é outro problema existente nos dias de hoje ? As pessoas querem as coisas fáceis, o seguro, o confortável, Ninguém quer correr riscos, escolhem se envolver com certa pessoa, por pura comodidade. Não estou citando por teoria, eu conheço mesmo casos assim. "A fulana é caseira", "A fulana é mais calma, tenho certeza que vai me entender", "O fulano não bebe", " A fulana é mais delicada", "Já conheço o fulano a tempos". É mais fácil ta com a "fulana/fulano" mesmo. Porém, seu estômago ainda se contrai quando vê o cara com quem teve um casinho, mas resolveu não investir, porque ele bebia e era arriscado demais pra você. Ainda se sente incomodado ao saber que a menina que você ficava, e resolveu não levar a sério porque era independente e gostava de sair, anda por ai desfilando com outro.  
      A imagem que coloquei pra acompanhar esse texto, representa o que eu desejo pra mim. Alguém pra me aceitar e viver comigo minhas loucuras, sonhos e tristezas. Alguém que eu sei que vale a pena meu esforço pra ser uma pessoa melhor. Uma pessoa pra compartilhar, e não só cobrar e exigir. Um relacionamento onde não exista competição pra quem se importe menos, e nem joguinhos de ciumes.        
     Não estou querendo me mostrar negativa sobre o amor ou relacionamentos. Pelo o contrário, eu sou muito otimista, acredito que ainda tem muita gente por ai que se arrisca em nome da felicidade a dois. Que saí da zona de conforto, corre atrás, engole o orgulho, faz de tudo pra dar certo. Gente que não tem medo de se apegar ao que sente, que aposta em uma relação e não tem desculpas pra não se orgulhar do que sente e por quem sente. Gente sem agrotóxicos, que só quer mesmo é ser feliz e amar.  




Nenhum comentário:

Postar um comentário